Atividade física x Joelho

A dor anterior no joelho (Síndrome da dor femoropatelar – SDFP) é uma condição comum e uma das maiores queixas dos membros inferiores e praticantes de atividade física, mind com uma maior incidência em mulheres, and que iniciam algum treinamento sem uma supervisão adequada.

O início acontece de forma insidiosa e progressiva e sua etiologia ainda não é muito bem conhecida. Tem como característica dor na frente dos joelhos, que aumentam ao realizar atividades como descer/subir escadas e/ou rampas. Algumas hipóteses se baseiam num mau alinhamento da patela (osso do joelho) com o fêmur, podendo ser causada por um encurtamento da musculatura posterior da coxa e uma fraqueza ou alteração no tempo de ativação de um dos músculos anteriores da coxa (vasto medial oblíquo).

Quadro clínico:

  • Dor ao subir/descer escadas e rampas
  • Dor ao permanecer sentado por um longo período
  • Dificuldade de agachar

Em virtude desse mau alinhamento muitos tratamentos para “corrigir” esse posicionamento foram criados. O tratamento se baseava em alongar a musculatura posterior da coxa e fortalecer a parte anterior, principalmente fibras que seriam capazes de “manter” a patela alinhada com o fêmur, associadas a uma bandagem que preconizava medializar a patela. Porém o tratamento se mostrou ineficaz em longo prazo.

Nos dias de hoje o tratamento para a SDFP é muito mais abrangente. Powers e colaboradores identificaram alterações muito importantes em atletas com a síndrome que ao realizar o movimento de agachamento dentro de um aparelho de ressonância magnética dinâmica foi identificado uma rotação do fêmur, chamado de valgo dinâmico, provocado por uma fraqueza da musculatura do quadril, principalmente os glúteos médio e máximo. O valgo se da sempre em movimentos apoiados somente em uma perna, onde o joelho em questão “entra” e acaba se aproximando da outra perna.

Outros estudos comprovaram que o encurtamento da musculatura posterior da coxa era uma consequencia e não a causa de dor nos joelhos. Com isso surgiram novas abordagens para a SDFP.

O tratamento de uma maneira inicial se dá com o uso de gelo com aplicações de 30 minutos com um intervalo de 2 horas entre cada aplicação, afim de diminuir o quadro de dor aguda. Juntamente o uso de uma joelheira é extremamente eficaz, uma vez que “abraça” a patela contra o fêmur e provoca um alívio imediato. Porém a joelheira de melhor resultado não é aquela com um “furo” e sim uma inteira fechada, para obter um maior contato com o fêmur. O fortalecimento dos glúteos é fundamental para um reequilíbrio muscular, assim como uma correção da biomecânica do movimento evitando o valgo dinâmico.

Outro fator a ser abordado é o fortalecimento do quadríceps, anterior da coxa, associado a uma corrente elétrica, afim de despertar esse músculo que ao início da dor começa a não produzir sua força máxima.

Em resumo o tratamento da SDFP se da por:

  • Fortalecimento dos glúteos médio e máximo
  • Fortalecimento do quadríceps associado a eletroestimulação
  • Uso de joelheira para diminuir os sintomas iniciais
  • Uso de gelo 5 vezes por dia por 30 minutos
  • Correção da biomecânica da corrida

Thomas S. Araujo
Aprimorado em Quadril/Esporte/Joelho/Ortopedia Pediátrica – Santa Casa São Paulo
Especialista em Ortopedia e Traumatologia – Santa Casa São Paulo
Fisioterapeuta do CHOV (Complexo Hospitalar Ouro Verde)

Você também pode se interessar por:

Bandagem Funcional - Síndrome de Hoffa
Treinamento Funcional
A tão falada "tendinite"
Novidades à Tona
Bandagens Funcionais