A tão falada “tendinite”

A tendinopatia é uma patologia caracterizada por sobrecarga e/ou esforço repetitivo, prostate podendo afetar um ou mais tendões no corpo do corredor. Os tendões mais comumente afetados são o patelar (joelho) e o calcâneo ou aquiles (tornozelo).

A causa da tendinopatia é a sobrecarga, check que aparece muitas vezes após o aumento do treino sem a manutenção dos exercícios de fortalecimento. O início é caracterizado por uma dor local no tendão durante ou no fim das provas/treinos, e sem o acompanhamento de um especialista essa dor local e esporádica passa a se tornar constante e intensa.

Além do aumento da carga de treinos, outros fatores podem predispor ao surgimento da tendinopatia. O tipo de pisada é uma característica que influencia nos tornozelos/joelhos/quadris, e são descritos em 3 tipos:

  • Pronada (pé chato)
  • Supinada (pé cavo)
  • Neutro

Cada atleta tem a sua pisada única e em muitos casos cada pé tem a sua particularidade durante a pisada. Para avaliar corretamente a pisada é necessário uma avaliação com um especialista e identificar as alterações em cada pé.

Após o diagnóstico o tratamento deve se iniciar precocemente com o protocolo PRICE, que consiste em: Gelo, elevação do membro, compressão e repouso, sendo realizados por um período de 30 minutos, e repetidos à cada 2 horas. Associado ao PRICE, existem recursos de eletrotemofototerapia para auxiliar na regeneração e cicatrização correta do tendão. Recursos como Laser infravermelho, Iontoforese (ultrassom associado com medicação para analgesia), técnicas de terapia manual para os tendões.

Após o processo de controle da inflamação os exercícios de fortalecimento se iniciam, e o principal deles é o exercício excêntrico, que consiste na “volta do movimento”, ou seja as 2 pernas realizam o movimento de ponta do pé, e somente a perna dolorida realiza a “volta” até o chão em casos de tendinopatia do aquiles. Após o controle da dor e a progressão dos exercícios, é necessário a correção da biomecânica da corrida para evitar recidivas.

Portanto se você apresenta dor local nos tendões que aumentam com a atividade física, procure um especialista e inicie hoje seu tratamento.

Por
Thomas S. Araújo
Aprimorado em Quadril/Esporte/Joelho/Ortopedia Pediátrica – Santa Casa São Paulo
Especialista em Ortopedia e Traumatologia – Santa Casa São Paulo
Fisioterapeuta do CHOV (Complexo Hospitalar Ouro Verde)

Você também pode se interessar por:

Canelite x Corrida de Rua
Síndrome do trato iliotibial
Novidades à Tona
Entorse de tornozelo
PALMILHAS: Pequenos detalhes que fazem a diferença na saúde e na performance!