42,195 km – de que planeta eles são? Londres 2012!

Depois de falar bastante dos Jogos Paralímpicos de Londres 2012, tadalafil e falarei muito mais, creio que eternamente pela inesquecível experiência de estar presente e ainda voltar com o “ouro no peito”, chegou a hora de recordarmos o que aconteceu nos Jogos Olímpicos, em especial às provas de corrida.

Ao ler esta matéria, tenho certeza que os iniciantes e amadores na corrida de rua, cairão do sofá… Mas que isso sirva de estímulo para continuar “competindo” com você mesmo e para valorizarmos estes verdadeiros heróis que conseguem marcas supra-humanas. Não só os ícones mundiais da corrida, mas também inúmeros brazucas, que na maioria das vezes, não têm o reconhecimento merecido por não conseguir um pódio olímpico ou mesmo uma classificação para a disputa dos Jogos.

Em Londres, apesar da confirmação e reconfirmação de alguns atletas, mais especificamente o E.T., Usain Bolt, muitas surpresas aconteceram na terra da Rainha. Entre as maiores decepções estão algumas nações africanas, como o Quênia e Etiópia que esperavam mais nas provas de fundo e meio-fundo, principalmente, na Maratona. Apontados como favoritos, os quenianos que tinham a impressionante marca de 278 atletas com índice olímpico (abaixo de 2:15:01), mas só podiam levar três atletas, foram surpreendidos pelo uganês  Stephen Kiprotich que teve a excelente marca de 2:08:01. Quem ainda não caiu do sofá, é porque ainda não entendeu direito! Vamos lá…, o cidadão correu por 42,195 Km a um pace médio de 3 minutos e 02 segundos por kilometro. Ainda não caiu do sofá? Então vamos aproximar da nossa realidade, se fizéssemos esse pace para os nossos míseros 5 km, terminaríamos com a impossível marca de 15 minutos e 10 segundos. Para os amantes dos 10km, mantendo o pace de Kiprotich teríamos 30 minutos e 20 segundos, que sonho! Realmente não dá para acreditar, quando estamos em casa assistindo uma maratona pela TV, não percebemos que os caras estão voando não é!

Agora, falando do “sexo frágil”, vamos deixar muitos marmanjos de boca aberta, a etíope Tiki Gelana marcou na maratona a bagatela de 2:23:07 (3:23 de pace médio), oxalá tivéssemos esse desempenho nos 10 k. Ai ai, eu pulverizaria minha melhor marca com a nem sonhada marca de 33 minutos e 49 segundos! Será que a mulher tem turbo nas canelas?!

Por falar em Extras Terrestres, o que dizer de Mo Farah, o britânico nascido na Somália, que simplesmente levou o ouro nos 5km com 13:41:66 (2:44 de pace) e 10 k com 27:30:42 (2:46 de pace). Tente um dia nos treinos de tiros, tentar fazer este pace por apena 400 ou 200 metros que seja. Realmente estes caras são demais!

Que tenhamos agora orgulho de nossa melhor participação em maratonas olímpicas, e valorizemos nossos heróis, tão pouco exaltados perto do que mereciam e de tantos boleiros que ganham milhões e ainda dão verdadeiros exemplos de NÃO-ATLETAS. Obrigado Marilson dos Santos (5º. colocado com 2:11:10), Paulo Roberto (7º. colocado, 2:12:17) e Frank Caldeira 12º. colocado, 2:13:35).

Voltando ao nosso planeta, que isso possa nos motivar para treinarmos com mais afinco, não só para bater nossas marcas e alcançar recordes pessoais.  Mas principalmente para melhorar nossa qualidade de vida, combater o stress de nossos dias tão atribulados, nos desligarmos desta vida tão informatizada de hoje e estar perto de “gente de verdade”, fazer novos amigos… enfim não cair do sofá e sim sair dele para as corridas.

Mas faça isso com segurança, procure inicialmente um médico e depois uma assessoria esportiva. Coloque sua saúde nas mãos de pessoas aptas a cuidar de você!

Que tal um sopro?

Por
Sandro Rodrigues dos Santos
Startmove Assessoria Esportiva

 

Você também pode se interessar por:

Atividade Física e Saúde
Chegou ao limite? Provavelmente, não!
Postura na corrida
Novidades à Tona
2ª Corrida Atitude Bosch - Fotos